Homepage
           A Empresa
           Haccp
           Infestantes
                     Baratas
                     Ratos
                     Formigas
                     Térmitas
                     Ácaros
                     Caruncho
                     Mosquitos
                     Carraças
                     Pulgas
                     Processionária
                     Traça
                     Bicho-de-conta
                     Peixinho Prata
                     Outros
           Épocas das Infestações
           Deservagem
           Monda Quimica
           Armadinhas para insectos
           Orçamentos
           Localização
           Contactos
  Novidades

    Nova Praga:
      Escaravelho da Palmeira

FORMIGAS

Formigas

As pequenas formigas desenvolvem-se por metamorfoses completas, passando por um estado larvar equivalente à lagarta dos outros insectos e pelo estado de pupa. A larva não tem pernas e é alimentada pelas obreiras por um processo chamado trofalaxia, no qual a obreira regurgita alimentos por ela ingeridos e digeridos. Os adultos também distribuem alimento entre si por este processo.

COMUNICAÇÃO
As formigas comunicam através de feromonas, esses sinais de mensagens são mais desenvolvidos na espécie das formigas que em outros grupos de himenópteros. Quando uma obreira encontra comida ela deixa um rastro no caminho de volta para a colónia, e esse é seguido por outras formigas que reforçam o rastro quando elas voltam à colônia. Quando a comida termina, as trilhas não são remarcados pelas formigas que voltam e o cheiro se dissipa.

Quando um caminho estabelecido para uma fonte de comida é bloqueado por um novo obstáculo, as obreiras o deixam para explorar novas rotas. Se bem sucedida, a formiga retorna e marca um novo rastro para a rota mais curta. Trilhas bem sucedidas, são seguidas por mais formigas, e cada uma o reforça com mais feromônio (as formigas seguirão a rota mais fortemente marcada).

Como outros insetos, as formigas sentem o cheiro com longas e finas antenas. As antenas têm como cotovelos ligados ao primeiro segmento alongado; e visto que vêm em pares-como visão binocular ou equipamento de som estereofônico elas obtêm informações sobre direção e intensidade. Quando duas formigas se encontram, tocam as antenas e as feromonas que estiverem presentes fornecem informação sobre o estado de alimentação de cada uma, o que pode levar à trofalaxia, ou seja, uma delas regurgita a comida para a outra. A rainha produz uma feromona especial que indica às obreiras quando devem começar a criar novas rainhas.

As formigas atacam e defendem-se mordendo ou picando, por vezes injectando compostos químicos no animal atacado, em especial, o ácido fórmico.

TIPOS DE FORMIGAS
Há uma grande diversidade de formigas e dos seus comportamentos.
As formigas-correição, da América do Sul e de África, não constroem formigueiros permanentes e alternam entre uma vida nómada e a organização de abrigos temporários formados pelos corpos das obreiras.

As “formigas-pote-de-mel” criam obreiras especiais, cuja única função é armazenar comida nos seus próprios corpos para o resto do grupo, ficando geralmente imóveis, com grandes abdómens cheios de comida. Em locais secos, mesmo desertos, em África, América do Norte e Austrália, estas formigas são consideradas um “petisco” delicioso.

As “formigas-tecelãs" (Oecophylla) constroem ninhos em árvores cosendo folhas, que juntam formando pontes de obreiras e depois cosendo-as com seda que obtêm de larvas criadas para esse efeito.

As “formigas-cortadoras” dos gêneros Atta e Acromyrmex pertencem à tribo Attini, e vivem exclusivamente nas regiões neotropical e sul dos Estados Unidos. Ao contrário do que se pensa, as formigas não se alimentam ingerindo as folhas que cortam (mas podem ingerir exsudatos açucarados destas folhas). Alimentam-se do fungo que elas cultivam dentro do formigueiro.

Possuem várias castas com funções específicas na manutenção da colónia. Umas cortam e/ou carregam folhas, flores e ramos, outras cuidam da limpeza e da defesa da colónia, e outras ainda do cultivo do fungo e do cuidado com os filhotes, chamados larvas. As formigas da casta das "jardineiras", cortam as folhas e, ao fazê-lo, aproveitam para se alimentarem da seiva exudada.

LONGEVIDADE
Desde a etapa em que são ovos, até se tornarem adultas, as formigas demoram entre 6 a 10 semanas. Algumas trabalhadoras podem viver até 7 anos, enquanto que as rainhas conseguem viver mais de 15 anos.

  
Peste Control do Algarve, Lda.   (+351) 289 395 785
NETEURO©2009